facebook twitter rss youtube

Notícias

Hoje e amanhã, a FENAG realiza o 60º ENAGECEF - Encontro Nacional dos Gestores da Caixa Econômica Federal. Essa edição reúne os representantes das 31 AGECEFs filiadas.

O encontro acontece no Novotel Jaraguá Conventions - São Paulo.

Nesses dois dias serão debatidos temas como: defesa da CAIXA, condições de trabalho, relacionamento com a empresa, relacionamento institucional e muito mais!
 
É de suma importância ressaltar o apoio da RDC Férias, nossos parceiros a mais de 25 anos, que em conjunto com a FENAG, criaram a empresa de turismo.

Além de ser um espaço para discussão e novos aprendizados, este é um momento no qual se consolida, mais uma vez, a força da Federação e a vantagem em manter unidos todos os colaboradores e gestores, aproximando ainda mais a FENAG das AGECEFs.

Acompanhe todas as notícias em tempo real no nosso Facebook!
 

A Ação judicial impetrada pela FENAG, no mês de janeiro último, teve sua primeira audiência em 08/03/2017. Estiveram em Brasília, representando a Federação, o Presidente Nilson Moura, o Diretor de Relações do Trabalho Marconi Apolo e a Diretora de Comunicação Marilde Zarpellon. Foram acompanhados pelo Advogado Dr. Rogerio Borges, do escritório Ferreira Borges, que patrocinou Ação Civil Coletiva.

Esta Audiência de Conciliação aconteceu pouco mais de um mês após o ajuizamento. A Juíza da 6.ª Vara do Trabalho de Brasília não concedeu a Tutela de Urgência, pedida pela FENAG, porém já marcou a audiência de encerramento da ação para o dia 22 de junho.
 
A CAIXA fez uma defesa "genérica", se apoiando mais na tese de que a FENAG não teria legitimidade para representar os associados numa ação judicial. Porém, o Dr. Rogerio Borges fundamentou muito bem a questão da legitimidade da representação da FENAG, afirmando que, conforme entendimento do STF, as entidades representativas civis têm esse poder, e como a FENAG foi autorizada pelas AGECEF e essas, por sua vez, realizaram Assembleia Geral para ratificar a autorização para entrar com tal pleito, ela pode ser a substituta processual nesse caso.
 
A revogação das últimas alterações do RH 184 é a maior reivindicação dos gestores da CAIXA e por isso a FENAG não podia se furtar a atuar nesse sentido. Desde o início, a FENAG atuou na esfera administrativa, buscando de toda forma uma solução para essa questão, culminando com a participação das discussões do GT criado para discussão do tema, mas não conseguindo avançar a contento. Não restou outra solução que não fosse buscar a justiça para garantir o direitos dos colegas gestores. Agora é aguardar a decisão da Justiça.
 
Vamos  ficar atentos à audiência de encerramento marcada para junho, e nos prepararmos para os próximos passos.

 

A CAIXA anunciou, ontem (14), alterações nas regras para a adesão ao Plano de Desligamento Voluntário Extraordinário (PDVE).

As alterações atendem às reivindicações das Entidades Representativas dos Empregados, dentre elas, a FENAG.

A FENAG e algumas outras entidades haviam ajuizado ação civil coletiva, pedindo a declaração de nulidade da cláusula que tratava da quitação de direitos, que feria a legislação vigente.

Os pontos alterados são justamente aqueles que estavam gerando dúvidas e inseguranças aos empregados que são alvo do Plano e que representavam ameaças aos seus direitos.

Com as correções realizadas pela CAIXA, os vícios que foram alvos dos questionamentos em juízo foram sanados,

A FENAG considera importante a decisão da CAIXA, pois dá mais segurança aos empregados que aderirem.

Mesmo com esse impasse resolvido, a FENAG lembra que é preciso discutir as condições de trabalho das unidades da CAIXA, com a diminuição do seu quadro em 10.000 empregados, já que não haverá, segundo a empresa, reposição para essas vagas do PDVE.

A Caixa pretende enxugar o quadro de empregados e então abriu, em fevereiro último, o PDVE - Plano de Demissão Voluntário Extraordinário. Muitos colegas me procuraram pedindo opinião sobre sair ou não, e essa é uma decisão bastante difícil de se tomar e muito pessoal. Depois de 20, 30 anos de empresa, essa decisão não deve ser tomada apenas por motivação financeira, tem que se pensar: o que farei daqui para a frente! A saída sem planejamento é muito abrupta, e as consequências podem ser devastadoras.

Por isso, sua saída deve ser bem pensada: o que você fará no dia seguinte ao seu desligamento? Sobre aquela rotina diária, como você vai dar conta de viver sem ela? Cada um deve começar a pensar nisso, pelo menos uns cinco anos antes, assim a decisão é mais suave. Você está preparado para deixar de encontrar aqueles colegas, não enfrentar aquele estresse, que tanto te incomoda, mas que você está tão acostumado?

O importante é fazer, em primeiro lugar, um planejamento financeiro. Diminua suas dívidas e veja se elas caberão em seu novo orçamento. Depois, pense no que vai fazer. Muitos afirmam que não irão fazer nada, vão cuidar dos netos, do cachorro, frequentar academia, passear no shopping; já outros pretendem utilizar suas experiências de todos esses anos para auxiliar na formação de novos profissionais, há aqueles que preferem abrir um negócio, empreender, outros afirmam que vão estudar. Essas foram as afirmações que mais ouvi. Seja qual for sua pretensão, prepare-se e saia com a consciência tranquila e certo de que está tomando a melhor decisão. E o mais importante: vá lá ser feliz.

Eu ainda não estou preparado para tal aventura, por isso ainda fico por aqui.

Forte abraço aqueles que estão de saída e sucesso em sua nova etapa.

Nilson Moura
Presidente da FENAG

 

A CAIXA lançou o PDVE (Plano de Demissão Voluntária Extraordinário), com o objetivo de diminuir o seu quadro em 10.000 funcionários.

Sem entrar, nesse momento, no mérito da iniciativa da CAIXA, a FENAG encomendou um Parecer Jurídico, com ênfase nas questões trabalhistas, para disponibilizar aos seus associados que estejam diante dessa decisão: aderir ou não aderir ao PDVE?

O Advogado Dr. Heitor Menegale, ex empregado e ex gestor da CAIXA, elaborou um documento contendo 7 páginas, onde apresenta a sua análise acerca do Plano lançado pela empresa.

A decisão é de caráter individual, pessoal, mas a FENAG espera que, com essa contribuição, os colegas gestores, associados das AGECEF’s, possam contar com esclarecimentos importantes que irão subsidiá-los na tomada de decisão.

Quanto ao impacto desse Plano de Demissão Voluntário no funcionamento das unidades da CAIXA, será objeto de outra matéria que a FENAG apresentará.

Por enquanto, pedimos aos colegas interessados que leiam com atenção o documento. BOA SORTE A TODOS E QUE TOMEM A MELHOR DECISÃO PARA A VIDA DE VOCÊS.

Acesse o parecer. Clique aqui!

FENAG

 



Cadastre-se e fique por dentro de
todas as notícias da FENAG.

Integração - Mail2Easy PRO




(61) 3223 0240
contato@fenag.org.br

SRTV/SUL Edifício Palácio do Rádio II
Bloco II - Sala 422 - Brasília - DF
70340-902

facebook  twitter  rss