FENAG e AGECEFs planejam estratégias para 2020





A FENAG estabeleceu o planejamento estratégico do Movimento Gerencial para 2020 junto a 55 lideranças das 31 Associações filiadas durante o 7º Fórum dos Presidentes das AGECEFs, realizado em 18 de janeiro, em São Paulo/SP. O presidente da Federação, Mairton Neves, numa referência à competência da liderança contemporânea de energizar as pessoas, propôs a todos se cumprimentarem com abraços e depois se apresentarem mencionando um fato inusitado pessoal como hobbies.


Franklin Covey, “O que diferencia os grandes líderes” – Leonardo Chamsin, CEO da Franklin Covey do Brasil, falou sobre os maiores desafios da liderança atual, baseados em recente pesquisa da Covey. Segundo ele, a execução é o principal para alcançar as metas crucialmente importantes – MCIs e obter os melhores resultados, razão de excelentes estratégias serem comprometidas por execuções medíocres. Para ilustrar a ideia, exibiu um vídeo institucional da Covey definindo a liderança como escolha de fazer a mudança e propiciar a diferença, enumerou as expectativas dos líderes de nível executivo. Ao falar das mudanças demográficas do perfil dos líderes hoje com a aposentadoria dos babyboomers e a substituição pelas gerações X, Y, Z e millenials, alertou para a falta de investimento na qualificação para a liderança. “65% se tornaram antes dos 30 anos de idade, contudo, 85% são capacitados após os 42 anos”. Também mencionou os impactos da escassez de líderes preparados e o principal diferencial das grandes lideranças que é trazer resultados consistentes. Ao final, presentou os presidentes das AGECEFs com o best seller “A quarta disciplina” e um jogo de cards “Os papéis essenciais do líder” e exibiu um case dos resultados de implementação da metodologia 4DX.


CA CAIXA – Rita Serrano, representante reeleita dos empregados no Conselho de Administração da CAIXA, ao responder às principais questões dos presentes, confirmou a aposentadoria compulsória dos empregados que se aposentarem pelo regime geral de previdência após a implementação da reforma trabalhista em cumprimento da CLT vigente. Também comentou a provável extinção da função de tesoureiro na rede da CAIXA com a promessa de não comprometer as funções exercidas. Também enumerou prejuízos da privatização da CAIXA Seguradora como a redução de recursos aos programas sociais e da nomeação de profissionais de mercado em posições na alta Diretoria da Empresa, sob ingerência política, em detrimento daqueles de carreira na CAIXA que, obviamente e, de longe, possuem mais competência para assumi-lo adquirida pela experiência. Perguntada sobre a reestruturação como fechamento de unidades da rede e remanejamento de pessoal com rebaixamento de funções, Rita informou que tais questões são tratadas apenas pelo Conselho Diretor cuja pauta não é pública. Por fim, comunicou sobre a reunião com as entidades representantes de empregados e aposentados da Empresa aliadas no próximo dia 22, em Brasília (DF), a fim de traçar uma agenda de atuação. Por fim, convocou todos a se engajarem na luta pelos direitos dos empregados da Empresa e sua manutenção como totalmente pública.


Desafios dos participantes de fundos de pensão – Claudia Ricaldoni, diretora-coordenadora regional IV/ FORLUZ, falou sobre o rompimento dos pilares do sistema previdenciário brasileiro constituídos, em sua origem, por patrocinadores, participantes e Estado - visando apenas a redução de custos em virtude da atual conjuntura nacional (crises econômicas e institucionais somadas à desorganização estatal ou alteração de regime) e o momento atual do sistema que abrange deficit em planos de benefícios, extinção do Ministério da Previdência – MPAS, criminalização de dirigentes e de modalidades de investimentos e alteração na legislação previdenciária prejudiciais aos participantes (retirada de direitos) e ao próprio sistema. A especialista também expôs as ameaças e os desafios, entre eles, a taxa contínua da taxa Selic, a taxa de juros negativa, estagnação econômica, aumento da longevidade, receio de correr riscos e, não menos, importante, a interferência político-governamental do Estado como Patrocinador (CGPC/CNPC) e fiscal (Previc), a exemplo da Resolução CGPAR nº 25 que extingue planos de benefícios definidos e contribuições variáveis que previam compartilhamento de deficits com a Patrocinadora e hoje transfere os riscos exclusivamente aos participantes. Por fim, ressaltou que, entre o dirigente indicado e o eleito, não mudam as competências técnicas e sim o compromisso, questionou as razões de não concederem o voto de minerva aos participantes a quem recorrerão os riscos e comunicou sobre a reunião em Brasília no próximo dia 5 para definição de ações de atuação em defesa dos fundos de pensão, como, a substituição do quórum qualificado pelo voto de minerva.


No período da tarde, o presidente da AGECEF/BH, Rogério Vida, sorteou kits comemorativos da bodas de pérola (35 anos) de fundação da Associação belorizontina entre os presentes contendo um carregador de celular portátil e uma caneta com pendrive de 8G.


Eleições para o Conselho de Usuários do Saúde CAIXA – A diretora de Comunicação, Marketing e Eventos da FENAG, Marilde Perin Zarpellon, apresentou as propostas, os candidatos e apoiadores da Chapa 1 – Movimento pela Saúde do processo no processo eleitoral para o Conselho de Usuários do Saúde CAIXA, da qual é candidata titular. Marilde também relatou o atendimento de prontidão de uma demanda do grupo pela gerente Louise Magalhães, da GESAP, por meio do aplicativo WhatsApp do plano de saúde e orientou os beneficiários a registrarem sugestões e críticas nos canais de relacionamento, pois reclamações registradas diretamente na Agência Nacional de Saúde geram multas à CAIXA e, consequentemente, despesas ao plano, prejudicando os próprios usuários.


Líder do Futuro – O presidente da FENAG, Mairton Neves, apresentou os últimos resultados da ação educacional Líder do Futuro que já treinou 2.496 gestores nas cinco regiões do Brasil em dez meses. O diretor de Parcerias e Investimentos, Nilson Moura, expôs as novas estratégias de atuação para este ano a fim de alcançar a meta de 5 mil treinados como atualização do plano de desenvolvimento e renomeação do programa por votação.


Equações possíveis – O presidente da FENAG, Mairton, estabeleceu uma pauta de debates com os presentes que sugeriram discutir Reestruturação CAIXA, sobretudo do atacado com a migração de empregados de Pessoa Física comprometendo esta área, transferências compulsórias, designações efetivas das funções vagas e por prazo, antecipação de gabaritos, entre outros temas.


Gestor CAIXA é Legal – O presidente, o vice da FENAG, e o diretor de Comunicação, Marketing, Parcerias e Eventos da AGECEF/SC, Mairton, Pedro Sérgio dos Santos Barbosa e Alberto Frederico Haefliger apresentaram o novo projeto Gestor CAIXA é Legal que visa orientar os gestores da Empresa a procederem somente conforme normativos internos a fim de se resguardarem de possíveis penalidades como compartilhamento de senhas e acesso externo aos sistemas da CAIXA e fora de dias e horários de expediente.




Compartilhe