Nota Sobre O Novo Modelo De Varejo Da Caixa


 Leia a Nota na Íntegra




A nota que circulou no dia de hoje cedo pela FENAG, sobre a nossa agenda em Brasília, relacionada à implantação do Novo Modelo de Varejo da CAIXA, faz-se necessário tecer alguns esclarecimentos.


A nota, a priori, foi elaborada, de forma sucinta e tempestiva, para situar os presidentes de AGECEF e Diretores da FENAG, acerca das tratativas ocorridas em Brasília e como sugestão de conteúdo para a divulgação pública.


Portanto, fica clara a importância desta segunda nota, com informações mais detalhadas da nossa agenda, o que faremos agora:


SOBRE A IDA A BRASÍLIA:


Inicialmente a ida a Brasília, nos dias 11 e 12 de fevereiro, se deu para uma agenda com o Vice Presidente da VIDAN, Paulo Ângelo, para levarmos o feedback dos gestores da CAIXA, acerca do Novo Modelo de Varejo da CAIXA, e seus desdobramentos, relatando as angústias, as dúvidas e as dores dos colegas. Essa agenda ficou acertada quando da realização da primeira reunião, quando o VP apresentou à FENAG o modelo.


Às vésperas da ida a Brasília, recebemos o convite da Comissão Executiva dos Empregados da CAIXA, para participarmos como observadores na reunião preparatória da Mesa de Negociação Permanente da CONTRAF. Esse convite se deu, segundo o Coordenador da CEE/CAIXA, Dionísio Reis, pelo fato da pauta principal da reunião ser justamente essa reestruturação que está acontecendo na empresa e a FENAG, na qualidade de representante dos gestores da CAIXA (público mais afetado com as mudanças), teria muito a contribuir com o debate.


Desde já registramos o nosso profundo agradecimento aos representantes dos empregados que compõem a mesa, pelo convite para a participação que, para nós da FENAG, teve um grande valor.


REUNIÃO COM O VIDAN


A ida da FENAG à Brasília, para a reunião com o VIDAN, tinha como propósito principal:


- Apresentar o feedback dos gestores, sem filtro, destacando suas dúvidas, incertezas e sentimentos;
- Encontrar uma solução para os gestores, no sentido que fossem efetivados nas novas funções sem necessidade de adesão, sem validação e a designação pautada em critérios estritamente técnicos;
- Da mesma forma, encontrar uma solução definitiva no processo de reestruturação para os colegas do REG/REPLAN não saldado. - Protocolar um ofício compilando todas dúvidas e questionamentos dos Gestores.
- Garantir a manutenção dos direitos e conquistas adquiridos até aqui e
- Garantir a participação das entidades na discussão da solução para os demais casos previstos no modelo.


Levamos essa pauta para o VP, que na ocasião nos apresentou a proposta que estava sendo apresentada na reunião da Mesa Permanente.


Por sinal, a proposta convergia com a grande parte das nossas reivindicações. No entanto, a condição para a implantação imediata da proposta, que previa a designação imediata e automática (sem adesão nem validação) de cerca de 21 mil colegas, ocupantes de funções gerenciais, inclusive com a manutenção desses colegas na unidade de lotação atual, e o prazo de 15 dias para a solução dos demais casos, seria o destravamento do processo de implantação, imposto pela liminar.


Aqui queremos também registrar o nosso agradecimento à direção da CAIXA, que abriu um canal de diálogo importante, e pela receptividade às nossas propostas e demandas, nos dando a oportunidade de sermos a voz efetiva daqueles que representamos.


REUNIÃO DA MESA DE NEGOCIAÇÃO


Após a reunião com o Vice Presidente, nos dirigimos ao local da reunião da Mesa de Negociação, para apresentar a nossa opinião acerca da proposta apresentada pela CAIXA.


Nos últimos dias, temos convivido com um clima de incertezas que assola os colegas da CAIXA (não só gestores), em virtude de alguns aspectos relacionados à implantação do Modelo. Dentre as manifestações dos colegas, através das nossas AGECEF’s, destacamos:


- Preocupação com a possibilidade de transferência de unidade e de cidade, com eventuais transtornos para as suas famílias;
- Preocupação com o possível processo de validação de suas permanências nas funções, sem critérios objetivos preestabelecidos;
- Preocupação com adoção de critérios que não sejam estritamente técnicos, nas designações das funções;
- Uma preocupação especifica por parte dos empregados do REG/REPLAN não saldados, pois não estava clara a situação nesse processo.


Passamos todo esse sentimento aos colegas membros da Mesa de Negociação e entendemos que a proposta apresentada pela CAIXA não contemplava todas as questões que envolvem os empregados, pois dentre os 20% estão as funções de Unidades que foram extintas e onde não existe vaga para lotação atual dos Gestores, segundo o gabarito, mas de partida já resolvia a situação da grande maioria e teríamos um tempo maior e a possibilidade de contribuir na solução dos demais casos (que para nós, são também importantes).


A Comissão demonstrou ser sensível com as nossas ponderações, mas, ao final da reunião, entendeu que a proposta apresentada pela CAIXA ainda não era suficiente para o fechamento do acordo.


CONSIDERAÇÕS FINAIS:


Entendemos e valorizamos a união das entidades na defesa dos direitos e interesses dos empregados da CAIXA, bem como em defesa da própria empresa. Por esse motivo, estamos presentes nos mais diversos Fóruns e Comitês relacionados a esses temas (além do SAÚDE CAIXA e da FUNCEF).


Da mesma forma, é característica nossa, valorizar o canal do diálogo e do entendimento. Por isso mesmo, em determinado momento, no dia de ontem atuamos como conciliadores, acreditando numa solução que contemplasse um acordo nas melhores condições possíveis.


Fazemos um registro e reconhecimento da importância da Liminar conseguida pela CONTRAF, que chegou no momento certo e foi fundamental para ampliar o universo de negociação com a CAIXA.


A CEE Caixa tem papel fundamental no fechamento desta negociação, o seu esforço tem o nosso reconhecimento e valorização. Vamos passar outras solicitações que surgiram dos associados durante o dia de hoje e pedir que sejam retomadas as negociações para que possamos tranquilizar o coração de mais de vinte e dois mil Gestores Caixa em todo o Brasil, que hoje sofrem com tantas incertezas.


Mesmo não ocorrendo no dia de ontem o acordo, continuamos acreditando nessa possibilidade, das partes envolvidas (CAIXA e representantes dos empregados) chegarem a um consenso, materializado no melhor acordo possível.





Brasília – DF, 13 de fevereiro de 2020.FENAG – FEDERAÇÃO NACIONAL DAS ASSOCIAÇÕES DOS GESRTORES DA CAIXA